quinta-feira, 10 de julho de 2008

Edição Comemorativa do Bicentenário do Desenbarque de Wellington na Figueira da Foz

Um pequeno parêntesis na História do Selo Português, para falar de uma emissão comemorativa do Desembarque das tropas inglesas no Cabedelo na Figueira da Foz.

Portugal encontrava-se invadido desde Dezembro de 1807 pelas tropas de Napoleão. O povo estava à míngua, ameaçado e ultrajado. Por onde passavam os Franceses, era só rasto de destruição, incêndios, pilhagens. Tinham o país a seu bel-prazer. Portugal passou a ser uma colónia do Brasil, pois a Corte mudara-se para Terras de Vera Cruz ficando cinco pessoas a governar o país. Junot, encarregou-se de as destituir e tomar ele o governo de Portugal.
A Guerra Peninsular veio pôr termo à prosperidade do século XVIII. Declinaram-se as receitas, uma vez que o comércio interno e externo esteve paralisado.
Aquando desta primeira invasão francesa, o Reitor da Universidade de Coimbra, Manuel Pais de Aragão Trigoso, ao tomar conhecimento de que era indispensável a tomada do Forte de Santa Catarina, na Foz do Mondego à entrada da barra da Figueira – depósito de material de guerra de relativa importância e ponto estratégico considerável para estabelecimento de comunicações com a esquadra britânica que se avizinhava, encarregou Bernardo António Zagalo, sargento de artilharia e estudante da Universidade de Coimbra, dessa patriótica missão.
Académico Zagalo, como também era conhecido, forma em Coimbra um batalhão com quarenta voluntários, vinte cinco dos quais estudantes, que, sobre o seu comando, marcham no dia 25 de Junho de 1808, rumo à Figueira, com a missão de atacar de surpresa os franceses que ocupavam a então vila e o Forte de Santa Catarina. Pelo caminho, populares de Tentúgal, Carapinheira e outras terras do Baixo Mondego, foram engrossando o batalhão. Em Montemor-o-Velho, o pequeno batalhão contava já com três mil populares armados de piques, foices e lanças. Ouviam-se sinos entre clamorosas ovações. Ao romper da alvorada, este engrossado batalhão chega à Figueira da Foz.
Zagalo mandou atacar a vila por duas frentes.
Os soldados de Junot que passeavam pela vila, foram tomados de surpresa e foram constituídos prisioneiros.
Cercou-se o Forte. O plano de Zagalo consistia em fazer render os franceses pela fome, uma vez que se sabia que tinham poucos víveres. Dois dias depois, a 27 de Junho, rendiam-se, e a bandeira francesa foi substituída pela portuguesa.
Estão assim criadas as condições para o desembarque das tropas de Wellington no Cabedelo com um contingente de treze mil homens juntando-se no mesmo local aos portugueses para assim pôr termo à primeira invasão francesa derrotando Junot na batalha do Vimieiro em 17 de Agosto.
Pelo que lemos na imprensa Figueirense, o Senhor Coronel Américo Henriques, deu uma verdadeira lição de História no Salão Nobre da Câmara Municipal.
A dada altura da sua “aula”, refere que “tudo, tudo o povo sofreu. E depois durante a Revolução Liberal? O povo não acreditava no Liberalismo, porque confundia o Liberalismo com as Invasões Francesas! Os ideais da Liberdade, Igualdade e Fraternidade, que lhe queriam mostrar, eram os mesmos ideais que os franceses traziam na ponta das baionetas. E talvez por isso mesmo o povo português foi tremendamente, encarniçadamente Miguelista! Esta é a verdade dos factos. (…)”


Bibliografia: “Aspectos da Figueira da Foz de Maurício Pinto e Raimundo Esteves, 1945;

História de Portugal de A. H. de Oliveira Marques, 1980

Jornal “O Figueirense” nº 5567 de 4 de Julho de 2008




As imagens aqui apresentadas são de um postal emitido pela Câmara Municipal da Figueira da Foz, representando de um lado o desembarque das tropas de Wellington na baía do Mondego. No verso, uma emissão de selos dos Duzentos Anos do Desembarque da Família Real no Brasil e carimbo comemorativo da efeméride.








__________

Nota: No próximo dia 19 de Julho, terá lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal da Mealhada, a emissão do carimbo comemorativo das “4 Maravilhas da Mesa da Mealhada”. Nessa altura, será elaborado um artigo alusivo a esta efeméride.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog