quinta-feira, 17 de abril de 2008

Breves palavras...

“Um erro, em gramática, é um solecismo; em teologia pode chegar a ser uma heresia; em poesia chama-se “pé-quebrado”; em música é uma desafinação ou fífia; em pintura é causa de riso; em arquitectura, de ruína; no comércio pode invalidar um contrato; em filatelia pode valer uma fortuna.”

Autor desconhecido




O Homem, desde sempre sentiu necessidade de comunicar. Fosse através do som, de sinais de fumo, da fala, da escrita, era necessário comunicar.
Ora, para comunicar de uma terra para a outra, mesmo a curta distância, era necessário haver alguém que transportasse o documento escrito ou fazer passar a mensagem de alguém para outro alguém, estivesse onde estivesse.
A estes homens, chamavam-se os mensageiros que, como o nome indica, transportavam a mensagem.
Ao longo dos tempos a mensagem foi evoluindo, os meios de a fazer circular também evoluíram, dando origem a uma sociedade mais aberta, mais próxima.
Hoje, estou em Portugal a editar este Blogue para que todos vós o possais ler aí no Brasil. O meio que estou a utilizar, é o e-mail. Em segundos, esta pequena página feita no Word, vai estar disponível na Internet. Mas poderia fazê-lo de outra maneira. A tradicional! Tradicional para o tema que estou a tratar aqui. Mas já “ultrapassada” para muitos.
Nesse caso, teria de pôr este artigo num envelope, colocar-lhe um selo, um destinatário e ir ao Correio deixar o envelope.
É sobre esse pequeno rectângulo chamado selo, que vos irei falar mais detalhadamente todas as quintas-feiras.

2 comentários:

Gustavo do Carmo disse...

Belo texto de introdução. Seja bem-vindo, João. Tenho certeza que muita gente vai gostar dos seus textos e do seu assunto. Abraço.

MiguelAngel disse...

João!
Mensageiro transatlântico, traz tuas histórias e imagens - mesmo em pequenos retângulos! - do mundo luso e mundial para estes destinatários que aguardam, sequiosos, "tuas" quintas férias! Com as boas-vindas irmãs e sinceras!
Abraços da colônia! (hehe)
Miguel

Arquivo do blog